Muitos fumantes preferem parar de fumar sozinhos e sem o uso de nenhum tipo de medicamento e muitos conseguem, mas outros não.

Alguns fumantes não são capazes de deixar de fumar sem um auxílio mais intenso, e freqüentemente eles são fumantes pesados, que por isso mesmo estão sob maior risco de desenvolver doenças ligadas ao tabagismo.

Se você ainda não conhece os métodos existentes hoje para ajudam a parar de fumar informe-se aqui sobre eles e desfrute de uma vida mais saudável. Existem remédios hoje em dia capazes de ajudar fumantes pesados a deixarem de fumar com pouca ou quase nehuma síndrome de abstinência.

Talvez você tenha interesse em artigos para ajudar a Parar de Fumar em nosso Blog:

Você também pode criar um perfil em nossa comunidade e parar de fumar conosco!

Fica o convite para que você se junte a nós e supere o vício do tabagismo, juntos!

A grande maioria dos fumantes não precisa de nenhum remédio para deixar de fumar, bastando apenas alguma força de vontade para deixar o vício.

Se você realmente pretende parar de fumar, considere escolher um método e deixar este vício que pode te matar! Lembre-se: qualquer pessoa consegue parar de fumar! Terapia de Reposição de Nicotina (TRN): Pode ser feita com: adesivos de nicotina, gomas de mascar. Esse tipo de terapia reduz sensivelmente as dificuldades que o fumante pode ter com os sintomas da abstinência. Alguns médicos concordam que a reposição de nicotina com os adesivos sozinhos por exemplo, pode não ser suficiente para um tratamento de determinado fumante mas pode ser para outro. Portanto, em todos os casos a avaliação médica é de extrema importância.

A Terapia de Reposição de Nicotina (TRN) é o tratamento de primeira linha para a dependência ao tabaco, não aconselhado somente em circunstâncias especiais que serão abordadas posteriormente. É eficaz utilizada isoladamente ou em conjunto com outros medicamentos. Embora as taxas de abstinência variem de acordo com o cada pessoa, esta terapia costuma dobrar as chances de sucesso na cessação de fumar.

Gomas de Mascar: Eles podem ser encontrados nas doses de 2mg e 4mg. Essa terapêutica parece atingir maiores índices de abstinência a longo prazo se feita em regime fixo de administração (a cada hora por exemplo).

Um fator importante para obtenção de eficácia no uso dessas gomas de mascar é sua técnica de utilização. As gomas não devem ser mastigadas como um chiclete comum. Devem ser mastigadas algumas vezes até que o sabor da nicotina torne-se aparente. depois, deve-se depositar a goma entre a gengiva e a bochecha até que o gosto desapareça. Então, este mesmo ciclo de mastigar e depositar o chiclete deve ser repetido até que se completem 30 minutos de uso do mesmo, quando deve ser jogado fora.

Não é recomendável fazer uso de bebidas durante a mastigação das gomas, pois a bebida pode “lavar” a nicotina bucal, tornando o produto ineficaz.

Niquitin - Adesivos de Nicotina

Adesivos de Nicotina: Uso fácil. Devem ser trocados a cada 24 horas e não impedem que o indivíduo faça esporte. Têm como efeito colateral mais comum a presença de irritações de pele que podem impedir a continuidade do tratamento. O tempo ideal de tratamento pode variar de pessoa para pessoa. Tipicamente aplica-se primeiramente um adesivo de 21 mg, seguidas com os adesivos de 14 mg e posteriormente os de 7 mg. Dessa forma, faz-se uma redução gradual da nicotina. Alguns pacientes podem precisar de menos tempo de terapia e outros podem fazer uso dos adesivos por um ano ou mais, dependendo do seu grau de tolerância aos efeitos colaterais.

Uso combinado dos chicletes e adesivos de nicotina: Num estudo realizado por Fargeström, os indivíduos que receberam tratamento combinado de adesivo e chiclete de nicotina obtiveram maior alívio dos sintomas de abstinência que aqueles usando cada um dos dois isoladamente.

Outros métodos de reposição da nicotina:Tanto os adesivos quanto os chicletes são formas de liberação lenta da nicotina que não simulam os efeitos rápidos dessa droga no sistema nervoso central obtidos quando se fuma um cigarro e por isso são pouco eficazes na redução de “fissura” para fumar. Pensando nisso foram desenvolvidas formulações de liberação rápida de nicotina, como o spray nasal ou inalantes em aerosol. Esses métodos podem ser usados isoladamente ou em conjunto com as formulações de liberação lenta e sua maior desvantagem é que apresentam maior probabilidade de desenvolvimento de dependência pelo paciente. O potencial de abuso desses produtos, entretanto, parece ser significativamente menor do que o de cigarros em fumantes. Esses produtos ainda não são comercializados no Brasil.

Pesssoas com restrições ao uso do terapias de reposição de nicotina:

  • pessoas com história de infarto do miocárdio,
  • gestantes.

Bupropiona: (Veja Bula do Cloridrato de Bupropiona, BUP, Zyban) Originalmente um antidepressivo atípico, com ações noradrenérgica e dopaminérgica, essa medicação é uma das mais usadas para tratamento do tabagismo.O tratamento deve ser iniciado com 150 mg . Diferentemente das TRN, os fumantes devem iniciar o uso da bupropiona uma semana antes da abstinência, até que atinja níveis plasmáticos constantes. Os efeitos colaterais mais comuns são insônia, boca seca, etc. Os fumantes costumam a utilizar a bupropiona por três a quatro meses. Freqüentemente utiliza-se em combinação com as TRN, especialmente em fumantes que recaíram ou que não conseguiram alcançar a abstinência com as medicações de reposição de nicotina. Existe a possibilidade da ocorrência de convulsões com o uso dessa medicação. Pessoas em especial risco: pessoas com história de convulsões; epilepsia; história de trauma do sistema nervoso central, incluindo acidentes vasculares cerebrais, cirurgia craniana ou traumatismo craniano com perda de consciência; transtornos alimentares;

Leia uma parte do documento preparado pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA) sobre este assunto. Caso você queira continuar lendo o documento em PDF clique aqui.

Farmacoterapia:

Talvez você tenha interesse em artigos para ajudar a Parar de Fumar em nosso Blog:

Você também pode criar um perfil em nossa comunidade e parar de fumar conosco!

Fica o convite para que você se junte a nós e supere o vício do tabagismo, juntos!

“A farmacoterapia pode ser utilizada como um apoio, em situações bem definidas, para alguns pacientes que desejam parar de fumar. Existem, no momento, algumas medicações de eficácia comprovada na cessação de fumar. Esses medicamentos eficazes são divididos em duas categorias: medicamentos nicotínicos e medicamentos não-nicotínicos.

Os medicamentos nicotínicos, também chamados de Terapia de Reposição de Nicotina (TRN), se apresentam nas formas de adesivo, goma de mascar, inalador e aerossol. As duas primeiras correspondem a formas de liberação lenta de nicotina, e são, no momento, as únicas formas disponíveis no mercado brasileiro. O inalador e o aerossol são formas de liberação rápida de nicotina e ainda não estão disponíveis em nosso mercado. Os medicamentos não-nicotínicos são os anti-depressivos bupropiona e nortriptilina, e o anti-hipertensivo clonidina. A bupropiona é o medicamento de eleição nesse grupo, pois segundo estudos científicos, é um medicamento que não apresenta, na grande maioria dos casos, efeitos colaterais importantes. A TRN (adesivo e goma de mascar) e a bupropiona são considerados medicamentos de 1ª linha, e devem serutilizados preferencialmente. A nortriptilina e a clonidina são medicamentos de 2ª linha, e só devem ser utilizados após insucesso das medicações de 1ª linha.

Critérios para utilização da farmacoterapia:

  1. fumantes pesados, ou seja, que fumam 20 ou mais cigarros por dia;
  2. fumantes que fumam o 1º cigarro até 30 minutos após acordar e fumam no mínimo 10 cigarros por dia;
  3. fumantes com escore do teste de Fagerström igual ou maior do que 5, ou avaliação individual, a critério do médico;
  4. fumantes que já tentaram parar de fumar anteriormente mas não obtiveram êxito devido a sintomas da síndrome de abstinência;
  5. não haver contra-indicações clínicas.

Critérios para seleção do medicamento: Em geral, um único medicamento é suficiente para a maioria dos fumantes. A escolha entre uma das formas de terapia de reposição de nicotina (adesivo e goma de mascar) e bupropiona dependerá da avaliação individual do fumante pelo médico. Não havendo contra-indicações clínicas, podem ser escolhidos os medicamentos acima, de acordo com a posologia e facilidade de administração. Assim, entre os medicamentos de 1ª linha, não existe um critério fechado de escolha, devendo-se na ausência de contra-indicações, fazer a opção levando em conta a opinião e vontade do fumante, o que tende a aumentar a aderência ao tratamento.Nos casos em que houver falha de tratamento, ou seja, em que o paciente não conseguiu parar de fumar após ter sido realizada abordagem cognitivo-comportamental e utilizado apenas um dos medicamentos de 1ª linha, pode-se pensar na associação dessas formas terapêuticas. Estudos mostram que a associação entre adesivo e goma de mascar de nicotina, ou entre adesivo de nicotina e bupropiona, ou mesmo entre goma de mascar de nicotina e bupropiona, elevam as taxas de sucesso no processo de cessação de fumar.

Abordagem do Tabagismo em Grupos e Situações Especiais

MULHERES GESTANTES E NUTRIZES: Recomenda-se que todas as mulheres gestantes e nutrizes tenham acesso a uma abordagem cognitivo comportamental para cessação do uso do fumo.

Utilização de farmacoterapia durante a gravidez: A farmacoterapia para cessação de fumar pode trazer riscos para o feto. Portanto, apenas em casos de fumantes pesadas em que a abordagem cognitivo-comportamental não tenha tido sucesso pode ser recomendada a associação da abordagem cognitivo-comportamental com terapia de reposição de nicotina, dando preferência a modalidade em dose intermitente com goma.

ADOLESCENTES: O conteúdo do aconselhamento deverá ser adequado a esse público específico com linguagem, material didático e dinâmicas direcionados para a adolescência, com ênfase na valorização da atividade física, na perda da capacidade de escolha provocada pela dependência, nos aspectos ilusórios da propaganda, nos cuidados com o corpo, a beleza e o desempenho sexual.

PACIENTES HOSPITALIZADOS: Quando necessário, a farmacoterapia, salvo quando houver contra-indicações clínicas.

TABAGISMO ASSOCIADO AO ALCOOLISMO E A DEPENDÊNCIA DE OUTRAS DROGAS: Não há nenhuma contra-indicação para a realização de intervenção para deixar de fumar em pacientes que estiverem também em intervenção para abstinência de álcool e outras drogas. Qualquer paciente fumante, usuário de álcool e/ou outras drogas, deverá receber uma intervenção mais intensa durante o processo para a abstinência do fumo. Considerando a diferença das abordagens, a equipe de tratamento deverá estar capacitada na abordagem do paciente fumante.

TABAGISMO ASSOCIADO À DEPRESSÃO E A OUTRAS COMORBIDADES PSIQUIÁTRICAS: Transtornos psiquiátricos são freqüentemente observados em pacientes com dependência de substâncias psicoativas. Em relação especificamente ao tabagismo há evidências de uma estreita associação entre o grau de dependência à nicotina e a presença de transtornos psiquiátricos.

A incidência de co-morbidade psiquiátrica nesses pacientes merece especial atenção na medida que:

  1. O uso do tabaco pode estar relacionado à necessidade de auto-medicação; por exemplo, o tabaco é utilizado como forma de aliviar os sintomas de depressão;
  2. Há mais chances de haver uma maior dificuldade de obtenção e manutenção da abstinência à nicotina e de adesão ao tratamento;
  3. Os fumantes que têm co-morbidades psiquiátricas (depressão, alcoolismo, esquizofrenia, etc), apresentam um maior risco de manifestação ou intensificação dos sintomas da co-morbidade, durante a cessação de fumar, na fase de síndrome de abstinência;
  4. É necessário acompanhamento mais intensivo;
  5. É indicada a utilização de medicação adequada ao controle das co-morbidades durante o processo de cessação de fumar.no quarto - 15 no quinto - 10 no sexto - 5 O sétimo dia seria a data para deixar de fumar e o primeiro dia sem cigarros.

no primeiro dia você começa a fumar às 9 horas, no segundo às 11 horas, no terceiro às 13 horas, no quarto às 15 horas, no quinto às 17 horas, no sexto às 19 horas, no sétimo dia seria a data para deixar de fumar e o primeiro dia sem cigarros

A estratégia gradual não deve gastar mais de duas semanas para ser colocada em prática, pois pode se tornar uma forma de adiar, e não de parar de fumar. O mais importante é marcar uma data-alvo para que seja seu primeiro dia de ex-fumante. Lembre-se também que fumar cigarros de baixos teores não é uma boa alternativa. Todos os tipos de derivados do tabaco (cigarros, charutos, cachimbos, cigarros de Bali, etc) fazem mal à saúde.

Sua auto-estima vai agradecer a medida que você for alcançando vitórias nesta batalha! Muito boa sorte a todos que tentam parar de fumar.

Fontes:

Wikipédia - Nicotina

INCA - Abordagem e Tratamento do Fumante - PDF

INCA - Tabagismo

Psiquiatria na Prática Médica- Tratamento da dependência da nicotina - UNIFESP

Talvez você tenha interesse em artigos para ajudar a Parar de Fumar em nosso Blog:

Você também pode criar um perfil em nossa comunidade e parar de fumar conosco!

Fica o convite para que você se junte a nós e supere o vício do tabagismo, juntos!